Como praticar a inteligência emocional no Marketing de Rede.

Eu acredito que competências humanas são infinitamente mais determinantes para o sucesso no marketing de rede do que competências técnicas. Claro que é importante entender de números e conhecer as peculiaridades do seu negócio, por exemplo. Porém é a maneira como você lida com sua mente, com suas próprias emoções e com as emoções dos outros que vai determinar o quão bem sucedido você será no negócio.

Acredite, é possível trabalhar sua mentalidade e suas crenças para que o sucesso venha a acontecer.

O sucesso acontece primeiro dentro de nós, quando vencemos os medos, as angústias, as inseguranças e todas as amarras que nos impedem de prosperar. A zona de conforto é um dos lugares mais traiçoeiros e ilusórios que existem. E não é fácil sair dela, mas é possível. Minha vida mudou quando percebi que o domínio da minha mente e das minhas emoções estava me levando mais rápido em direção aos meus sonhos.

É a inteligência emocional que lapida as qualidades que nos tornam verdadeiramente humanos.

É por isso que, quando falamos em marketing de rede, sem dúvida, a inteligência emocional é definida como virtude essencial para o sucesso, pois essa consciência fará com que você lide da melhor maneira possível com o “não” e permitirá que tenha um bom relacionamento com sua equipe. Não é segredo para ninguém que é preciso resiliência na trajetória neste negócio. Muitos obstáculos cruzarão o seu caminho e, para manter-se de pé, é preciso estar com a mente e as emoções equilibradas. 

A primeira dica que eu tenho para você, independentemente de estar começando no negócio ou não, é ter suas metas definidas na sua mente, é ter o seu quadro de sonhos decorado na cabeça. Desse modo, sempre que passar por algum percalço, você deve se lembrar de tudo que pretende conquistar. É uma maneira de manter-se firme no seu propósito e não deixar  que os arroubos emocionais tirem você do eixo. 

A segunda dica é buscar entender cada sentimento que você tem e cada pensamento que cruza sua mente. Dar nome às emoções que vivemos é o primeiro passo para compreendê-las melhor e lidar com elas do jeito mais maduro possível. O primeiro passo é identificar a emoção. O segundo é acolhê-la ao invés de evitá-la. Lide com ela, domine-a. Esse poder está na sua mente.

Tem um ritual que adotei desde que comecei a compreender melhor a mente humana e os benefícios de controlar o emocional. Sempre que acontece um fato que gera uma emoção em mim, eu procuro parar, respirar e entender o que está se passando no meu interior. Eu me isolo por um minuto que seja, foco na respiração e fecho os olhos. É uma maneira de não sair do meu próprio eixo e não agir com imprudência. Isso é uma estratégia poderosa para evitar reações exageradas ou desproporcionais.  

Vamos supor que você marca um encontro com um velho amigo no intuito de falar sobre o negócio, apresentar o plano e contar como sua vida está sendo transformada por meio dessa oportunidade. No minuto em que você fala que está desenvolvendo o marketing de rede, o amigo começa a debochar de você, usar a ironia e o sarcasmo para criticar a sua saída da empresa onde trabalhavam juntos no mercado tradicional, além de fazer piadinhas sobre os produtos que vende. Você tenta apresentar o plano a ele, mas ele é insistente e as críticas vão só piorando, tornando-se ofensivas. Você vai se irritando aos poucos e quase perde a cabeça. O correto a se fazer nesse caso, em vez de se deixar levar pelas emoções, é pedir licença, ir ao toalete ou afastar-se com a desculpa de que vai falar ao telefone, respirar fundo e se perguntar: o que eu estou sentindo?

Por que me sinto assim? Vale a pena me deixar levar por esse sentimento?

É compreensível se sentir frustrado por um momento, mas é preciso entender o que se passa dentro de você para que possa agir racionalmente e não perder a cabeça. 

É sempre bom lembrar que o não, na maioria das vezes, é temporário e que esse amigo inconveniente pode perder o emprego em um futuro breve e transformar-se em um prospecto com grandes chances de fazer parte da sua equipe.

Não tome decisões em estados emocionais aflorados, seja ele raiva ou alegria.

Trabalhar a autoconsciência é o passo determinante para tomar as rédeas das suas emoções e da sua mentalidade. Não é fácil, mas olhe para si e entenda que se redescobrir é o primeiro passo para a evolução.

Se você gostou deste artigo sobre inteligência emocional, compartilhe com sua equipe e amigos. Cadastre-se no link abaixo para receber mais conteúdos sobre este assunto pelo seu e-mail com exclusividade. 

>>CLIQUE AQUI PARA RECEBER MEUS CONTEÚDOS SEMANAIS<<

Você já passou por algo similar? Me conte seu caso aqui nos comentários

COMPARTILHE COM OS AMIGOS!

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Aproveite para ler mais conteúdos.

Fechar Menu